quarta-feira, 15 de abril de 2009

Chegou o material do cursista???

Muitos formadores estão reclamando da falta de material para o cursista o que inviabiliza o início dos trabalhos. Diga aí, como estão as coisas no seu estado/município?
Este é o telefone do MEC
61-2104 8672 para que você tenha acesso a informações relativas ao material do cursista, ou mesmo para resolver eventuais problemas entre o formador e sua SEDUC/ SEMEC, substituição de formadores e demais assuntos administrativos.
Até mais, perseverança e muito sucesso a todos que assumiram o compromisso com o programa GESTAR II.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Palavras ao vento- Lázaro Ramos

video

INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO!!

Car@s,

Diante dos questionamentos recebidos, transcrevo as páginas 51 e 52 do Guia geral, ressaltando que, nós da equipe de língua portuguesa, sugerimos um projeto de leitura, que envolva professores de outras áreas, pois estamos seguros de que a responsabilidade pelo Letramento dos alunos é de todos os professores... Mãos à obra!!!

PROJETO PEDAGÓGICO

O professor cursista deverá desenvolver um projeto para a finalização do programa, de preferência interdisciplinar, a ser implementado em sala de aula, apresentando a estrutura a seguir:
a) Temática: definir um tema que possa desenvolver os conhecimentos adquiridos no programa e seja contextualizado à realidade de sala de aula.
b) Problemática: definir uma situação-problema a ser focada mediante seu desenvolvimento.
c) Fundamentação teórica: definir os conceitos e as teorias que darão base a todas as ações desenvolvidas.
d) Objetivos: definir quais são os objetivos gerais e específicos a serem alcançados com a sua implementação.
e) Metodologia: definir os passos a serem seguidos e os recursos materiais a serem utilizados para a sua realização.
f) Cronograma: definir o cronograma de cada etapa de desenvolvimento e os seus respectivos prazos.
g) Equipe de trabalho: definir as áreas de conhecimento envolvidas, assim como os educadores participantes e as suas respectivas atribuições.
h) Avaliação: definir o processo de avaliação e os instrumentos a serem utilizados.

Sobre as oficinas...

Caro Formador,
Fique atento para as orientações das oficinas, elas são a única forma de mapear o resultado final do projeto. É preciso saber se está sendo satisfatório lá na sala de aula do seu cursista, portanto não esqueça nenhum dos passos:
1º Passo:O cursista deverá dedicar 5h para o estudo de cada Unidade. Esse estudo pode ser individual ou em grupos de estudo e pode ser coordenado e organizado por você. Antes que cada oficina ocorra, ele deverá estudar duas unidades, logo, 10h de estudo antes dos encontros com você.
2º PassoDepois de estudar as duas unidades da TP que estiver em foco naquele momento, incluindo o Ampliando nossas referências, o cursista escolherá um AVANÇANDO NA PRÁTICA para aplicar em sua sala de aula e recolher todas as tarefas produzidas pelos alunos dele.
3º Passo:Após a aplicação da atividade, o cursista executará a LIÇÃO DE CASA , que é o registro reflexivo sobre a aplicação prática em sala de aula. Você, formador, poderá criar um roteiro com perguntas que deverão ser contempladas no relatório, além das que aparecem no passo a passo das oficinas. Esse relato não deverá vir respondido em forma de questionário e sim em formato de um texto de relatório reflexivo, no qual, além das descrições das ações, deverá vir reflexões do cursista.
4º Passo :Depois de estudar e responder todas as Atividades propostas nas unidades da TP em análise; aplicado o Avançando na Prática na sala de aula e cumprida a Lição de Casa, o cursista se encaminhará para a OFICINA COM VOCÊ, não esquecendo de levar os materiais dos alunos.
NA OFICINA: Este momento é essencial para o bom andamento do programa, por isso faça sempre uma avaliação se o professor está cumprindo com as atividades propostas, mesmo que faça uma adequação de tempo e de temas para atender melhor os seus cursistas.
1º MOMENTO: Debate sobre o estudo que foi realizado pelos cursistas, nesse momento você formador deverá ser sensível para perceber onde os cursistas estão fortes e onde ainda não foi bem sedimentada a teoria, para então desenvolver maiores debates e apresentar alguma teoria adicional, indicar algum livro para estudo, ou marcar um plantão pedagógico com aqueles que você perceber que necessitam de um acompanhamento mais próximo. Crie situações para todos participarem, a fim de que não fique todo o tempo um debate com um pequeno grupo, isso acabará dando segurança aos que não falam.
2º MOMENTO: Apresentação dos trabalhos dos alunos e socialização dos relatórios reflexivos. Crie um ambiente para a exposição dos trabalhos dos alunos, e critérios para que todos participem, mas cuidado com a formatação da escala, pois poderá cair numa cilada de cada professor aplicar apenas o avançando na prática que foi determinada a apresentação dos seus alunos, portanto organize as coisas de forma que haja uma participação bem abrangente. O crescimento do professor ocorrerá nessa hora, pois é lá que vai trocar com os pares as experiências frustradas e as bem sucedidas, deixe o professor falar e o estimule, mesmo que não tenha sido boa sua experiência, pois nesse momento várias idéias surgirão e serão essenciais para o amadurecimento profissional do grupo.
3º MOMENTO: Você, formador, deverá conduzir uma das atividades propostas na seção OFICINAS do TP em estudo. Essa atividade deverá corresponder à unidade analisada e será escolhida pelo professor cursista. Você prepara as duas atividades sugeridas e os cursistas escolhem a querem, daí você encaminha tudo.
4º MOMENTOFaça uma avaliação do encontro.
5º MOMENTO: Abra uma breve discussão sobre a temática das próximas unidades. Há na programação 4 OFICINAS que não estão planejadas, você deverá planejá-las de acordo com a necessidade do grupo, se houver algum tema que seja necessário debater, se houver alguma dúvida quanto à execução das atividades, se houver uma palestra interessante, por aí vai. Nao se esqueça de fazer toda essa explicação numa das oficinas introdutórias. Eu sugiro que as duas oficinas introdutórias sejam feitas da seguinte forma:
1ª Oficina - 4h Abertura oficial do programa, apresentação dos professores, momento motivacional, entrega do Material, análise do Material( com o cursista).
2ª Oficina - 4h Explicação da metodologia do curso, da proposta pedagógica, das adequações curriculares feitas pelos professores, de que isso é um material a mais e não substitui outros que já forem adotados na escola. Explicar a dinâmica das oficinas; o trabalho que cada um deverá executar;explicar o projeto de 40h que será apresentado nas oficinas de avaliação. Bom trabalho!
Fonte: http://www.discursosquesecruzam.blogspot.com

De mão dadas pela educação


O trabalho com a formação continuada de professores tem sido ímpar, são tantas realidades, tantos aprendizados. Passei por lugares com total infra-estrutura e outros muito carentes, mas, reservadas as disparidades, é gratificante o contato com os professores; professores apaixonados, com toda certeza! As experiências adquiridas nesse processo redimensionaram o meu olhar e, sem sombra de dúvida, a minha prática pedagógica.
Só a educação transforma, "isso é fato e é científico "(Biá- Narradores de Javé)! Vivemos tempos díficeis nessa pós-modernidade, um momento em que os conceitos antigos não abarcam as expectativas cotidianas e não há resposta para muitas dúvidas. Penso que estamos naquilo que o teórico Homi Bhabha denominou de entre-lugar, ou seja, vivemos nos interstícios, no liminar, o contingente, na passagem. Estamos no olho do furacão! O que fazer? Como resgatar o sentido da escola ( tão desacreditada por alunos e professores)? Não tenho as respostas, mas acredito que um bom caminho é a formação continuada. Entrar em contato com teorias, tecnologias, metodologias e, sobretudo, trocar experiências com nossos pares é enriquecedor. Nos espaços de formação continuada percebemos que não somos tão distantes ou diferentes, temos problemas, dúvidas e carências semelhantes as dos nossos colegas. Mas, sem dúvida, a riqueza consiste em aprender a aprender, aprender com quem ensina( professores), tornar-se sujeito e aprendiz desse processo de aprendizagem.
O desafio está lançado: ressignificar as nossas práticas pedagógicas cotidianas.